3.º CICLO – Educação Visual

 

“À Maneira de … “

À maneira de…, é um conjunto de atividades desenvolvidas que têm como objetivo dar a conhecer trabalhos de artistas portugueses e desenvolver o gosto pela arte.

Como suporte à proposta de atividade, podemos descobrir importantes obras da Coleção Moderna, de Vieira da Silva, a Amadeo Souza-Cardoso, passando por  Lourdes Castro, entre muitos outros artistas. Visualiza a aplicação no Museu Calouste Gulbenkian, particularmente o vídeo sobre a artista plástica Lourdes Castro

À Maneira de … Lourdes de Castro   

Lourdes de Castro nasceu no Funchal, Ilha da Madeira, 1930. 
Após os estudos na sua ilha natal, Lourdes Castro prossegue 
formação na Escola de Belas-Artes de Lisboa, de 1950 a 1956. 
A sua pintura é, então, influenciada pelo fauvismo. 
Mais tarde estabelece-se em Paris. Até 1960, Lourdes Castro, 
influenciada pelo amigo Arpad Szenes, usa uma técnica de 
pintura que se pode classificar como abstração lírica. 
Abandona a pintura e aproxima-se dos pintores que se agrupam 
sob a designação de Nouveaux Réalistes:realiza assemblages de 
objetos heteróclitos destinados ao esquecimento.
Em 1962, trabalha sobre sombras, projetando silhuetas sobre a tela e conservando apenas o 
contorno desenhado. A artista realiza uma série de retratos de figuras da sua relação 
(Micheline Presle, obra que pertence à Coleção Berardo, Christo, Bertholo, Maurice Henry,
Adami, Voss, Dimas Gamarra ou Elda Zanetti). Alguns anos mais tarde,dedica-se ao teatro 
de silhuetas, revisitando a tradiçãodas sombras chinesas. Prossegue o seu trabalho,
realizando, na Madeira onde vive, sombras de plantas. A sua obra foi distinguida em 
Portugal, em 2000, com o Grande Prémio EDP. Encontra-se retirada na Madeira, desde 1988.

      

DESAFIO 1

Uma vez visualizada a apresentação digital  da obra da artista Lourdes de Castro e as imagens publicadas, realiza um mural à maneira Lourdes Castro através do desenho dos contornos de sombras dos corpos, (podem ser dos teus familiares), na própria parede do teu quarto, numa parte da tua casa, ou num material como pano de lençol, caixa de cartão, outros que escolhas que tenhas à tua disposição. Só quando estiveres satisfeito com a dinâmica que imprimiste à tua composição através do desenho de contornos deverás proceder à pintura. Vais necessitar de lápis de grafite, de carvão ou giz; marcadores e tintas aquosas.

Se não puderes dispor de tanto espaço faz o mesmo desafio em suportes mais pequenos com partes do teu corpo.

A partir deste momento é a tua criatividade que diz qual o passo seguinte inspirado na obra de Lourdes de Castro termina o teu trabalho “à maneira de…”

 

_________________________________________________________________________________

 

“Diário Gráfico”

´O diário gráfico pode ser um recurso didático propício ao desenvolvimento da criatividade e da liberdade para a experimentação de materiais, de técnicas e modos de representar. Rui Lacas, autor de banda desenhada, afirma que “Este caderno é como um mini estúdio, um estúdio ambulante que  permite ser criativo o dia todo”, também  Eduardo Salavisa refere que, ”O diário gráfico adquire para os alunos uma grande importância como um valor afetivo, como objeto pessoal”. Sabendo que o diário gráfico pode ser narrativo, biográfico, experimental e tem como premissa o desenho diário, de acontecimentos que fazem parte do quotidiano de cada pessoa. Num bloco ou num pequeno caderno podemos praticar, dia após dia a arte de observar e registar visualmente tudo o que nos rodeia, toda a vida à nossa volta.

DESAFIO 2

Após visualizares o vídeo, cria o teu próprio diário gráfico para praticares a arte de executar desenhos.

     

Uma proposta para capa com lombada dobrada e cadernos de folhas agrafados e colados na lombada.

Os Urban Sketchers são um coletivo internacional de autores que desenham em diários gráficos as cidades onde vivem, os sítios por onde viajam, as pessoas com quem se cruzam e que se encontram frequentemente para desenhar em conjunto, ao vivo e in loco.

DESAFIO 3

Experimenta o poder expressivo do Desenho, utilizando  materiais riscadores e tintas, recortes e colagens de imagens, etc. a partir dos seguintes temas:

  • “O meu olhar de casa para a rua”
  • “O animal de estimação doméstico”
  • “A família que está em casa”
  • “Os meus equipamentos pessoais”
  • “As partes da tua casa com valor afetivo”, etc.

 

________________________________________________________________________________________

 

“Oficina de design”

Um designer gráfico de Kochi, na Índia, utiliza a técnica de combinações forçadas entre duas imagens para criar uma terceira. Nesta técnica criativa o designer incorpora animais, pessoas, e equipamentos na criação dos seus excelentes logótipos.

Faz uma análise cuidada e repara como as duas imagens dão origem ao processo de criação do logótipo (ideia resultante).

                      

Design gráfico – Criação de um logótipo 

A pandemia causada pelo vírus Covid 19, forçou a Organização Mundial de Saúde a decretar o estado de emergência de saúde internacional, que obrigou ao confinamento e ao uso de máscara por todos os cidadãos. Contudo,  o planeta Terra respira muito mais ar puro devido à ausência de poluição resultante da fraca mobilidade dos transportes públicos, veículos, barcos, aviões, etc. Será que tudo será diferente no futuro?

DESAFIO 4

Imagina que és um designer de comunicação e pretendes criar um novo logótipo, isto é, uma imagem visual que identifique e represente esta realidade. Para tal, através da combinação das duas imagens, em baixo, realiza o teu logótipo criativo.

Regista graficamente o maior número possível de ideias até chegares a um desenho final. Trabalha esse desenho e apresenta a tua proposta final do logótipo.

     

 

Design de produto – Criação de uma cadeira

DESAFIO 5

Imagina que és um designer de equipamentos e pretendes criar uma nova gama de cadeiras amovíveis para salas de reuniões. Para tal, através da combinação das duas imagens, em baixo, cria a tua cadeira.

Regista graficamente o maior número possível de ideias, analisa-as e seleciona uma ou faz a síntese de detalhes das várias ideias até chegares a um desenho final. Trabalha esse desenho e apresenta a tua proposta final de cadeira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 “O Tu Abstrato”

(créditos do Blog IF “Guião de aprendizagem de carácter transdisciplinar”)

 

DESAFIO 6

Tal como um artista abstrato, também tu poderás ser inspirado por qualquer coisa: por alguém, pela natureza, pelo mundo ou até por um objeto. Desenha a tua fonte de inspiração num estilo abstrato, como se fosses Picasso. Apresenta-a aos teus colegas, recorta-a em 3 partes e cola-as no mural.

Vamos assistir às metamorfoses do teu desenho e criar um mural de arte abstrata.