ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DO ENSINO APRENDIZAGEM

 

A APEVT disponibiliza um roteiro de endereços institucionais de orientação curricular para a Área Artística e Tecnológica, do pré-escolar ao ensino secundário. Para a preparação do ano letivo disponibiliza ainda, a todos professores da área, documentos com propostas de organização do ensino aprendizagem.

Índice:

  1. Documentos institucionais – Perfil dos Alunos, Aprendizagens Essenciais e Programas revogados
  2. Proposta de organização do ensino para o ano letivo 2021/2022 – Planificação global anual e especifica de Unidade de Trabalho

 

DOCUMENTOS INSTITUCIONAIS

Perfil dos alunos à saída da Escolaridade Obrigatória

http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdf

 

Aprendizagens Essenciais para Educação Artística e Tecnológica

Homologadas pelo http://www.apem.org.pt/docs/aprendizagens-essenciais/despacho-n-6944-A-2018.pdf

  • Pré escolar

https://www.apem.org.pt/docs/Orientacoes_Curriculares_Educacao_pre_escolar.pdf#page=54

  • 1º Ciclo do ensino básico

http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/1_ciclo/1c_artes_visuais.pdf

  • 2º ciclo do ensino básico

http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/2_ciclo/educacao_visual_2c_ff.pdf

http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/2_ciclo/2c_educacao_tecnologica.pdf

  • 3º ciclo do ensino básico

http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/3_ciclo/educacao_visual_3c_ff.pdf

  • Ensino Secundário

Formação geral

http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/10_desenho_a.pdf

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/10_gda.pdf

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/11_hca.pdf

Formação especifica

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/12_materiais_e_tecnologias.pdf

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/12_oficina_de_artes.pdf

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/12_oficina_multimedia_b.pdf

  • Cursos artísticos especializados

file:///C:/Users/carlo/AppData/Local/Temp/Temp1_AE_CAE_Secundario%20(1).zip/AE_CAE_Secundario/AE_CAE/Imagem%20e%20Som%20A%2011.PDF

file:///C:/Users/carlo/AppData/Local/Temp/Temp1_AE_CAE_Secundario.zip/AE_CAE_Secundario/AE_CAE/Historia%20e%20Cultura%20das%20Artes%20-%20AVA%2010.pdf

file:///C:/Users/carlo/AppData/Local/Temp/Temp1_AE_CAE_Secundario.zip/AE_CAE_Secundario/AE_CAE/Geometria%20Descritiva%20A%2011.PDF

 

Programas de EVT e EV do 2º e 3º ciclo

Revogados com o https://www.apem.org.pt/docs/Despacho_6605_A_2021.pdf

Programa de Educação Visual e Tecnológica do Ensino Básico – 2.º Ciclo: Vol. I; Vol. II

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Basico/Metas/EV/eb_evt_programa_i_2c1.pdf

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Basico/Metas/EV/eb_evt_programa_ii_2c1.pdf

Programa de Educação Visual e Tecnológica do Ensino Básico – 3º Ciclo: Vol. I; Vol. II  (com ajustamento)

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Basico/Metas/EV/eb_ev_programa_i_3c_1.pdf

https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Basico/Metas/EV/eb_ev_programa_ii_3c1.pdf

 

Recursos: sítios eletrónicos  

2.º CEB

https://www.tate.org.uk/kids

https://artsandculture.google.com/

https://www.rtp.pt/play/zigzag/p2603/design-ah-um-olhar-sobre-o-design

https://thekidshouldseethis.com/tagged/art

https://www.planetatangerina.com/pt-pt/atividades/

https://artsandculture.google.com/project/360-videos

https://gulbenkian.pt/museu/colecoes/visita-virtual/

http://www.museudearteantiga.pt/colecoes

https://artsandculture.google.com/partner/musee-dorsay-paris?hl=en

https://www.museodelprado.es/en/the-collection/art-works

https://www.youvisit.com/tour/louvremuseum

3.º CEB

https://artsandculture.google.com/project/360-videos

https://gulbenkian.pt/museu/colecoes/visita-virtual/

http://www.museudearteantiga.pt/colecoes

https://www.youvisit.com/tour/louvremuseum

https://www.youtube.com/watch?v=RPwpC82li2Q

https://artsandculture.google.com/partner/musee-dorsay-paris?hl=en

https://www.museodelprado.es/en/the-collection/art-works

https://britishmuseum.withgoogle.com/

https://gulbenkian.pt/museu/colecoes/visita-virtual/

https://www.virtualuffizi.com/the-artists.html

https://www.florence.net/virtual-tour-uffizi-gallery.asp

https://artsandculture.google.com/partner/masp?hl=en

https://artsandculture.google.com/partner/the-metropolitan-museum-of-art

http://www.museivaticani.va/content/museivaticani/en/collezioni/musei/tour-virtuali-elenco.html

https://www.rijksmuseum.nl/en/rijksstudio

https://artsandculture.google.com/partner/national-museum-of-modern-and-contemporary-art-korea?hl=en

 

PROPOSTAS DE ORGANIZAÇÃO DO ENSINO PARA O ANO LETIVO 2021/22

Um currículo nacional baseado em competências e experiências educativas

Como se sabe, o termo “currículo” refere-se a diferentes realidades, consoante o nível em que nos colocamos. Com efeito, num primeiro nível, este termo é identificado com um conjunto de orientações estabelecidas pelas autoridades educativas, mas, num outro nível, está associado ao modo como o professor orienta e organiza efetivamente o processo de ensino-aprendizagem e às tarefas que propõe aos seus alunos.

Qualquer que seja o nível que consideremos, o currículo não deve, porém, ser concebido nem interpretado como um conjunto de orientações rígidas e prescritivas, como algo que, supostamente, seria concretizado de maneira uniforme – o que sabemos não corresponder à realidade que é múltipla e diversa. Naturalmente, o currículo nacional deve contemplar os grandes objetivos para a aprendizagem dos alunos, o que inclui as principais competências a desenvolver e os tipos de experiências educativas que devem ser proporcionadas a todos, assim como uma definição de quais são as áreas e componentes curriculares nos diversos ciclos. Mas deve ser concebido de acordo com o princípio de que a sua concretização é um processo flexível que requer, nos diversos níveis, interpretação de cada contexto de trabalho, consideração dos recursos disponíveis e tomadas de decisão apropriadas.

Por outras palavras, a própria noção de currículo integra a procura de respostas adequadas às diversas necessidades e características de cada aluno, grupo de alunos, escola ou região. Esta noção de currículo e desenvolvimento curricular aqui sintetizada está, naturalmente, associada a novas práticas de gestão curricular. Embora os professores sempre tenham sido, afinal, determinantes na gestão do currículo, a verdade é que, hoje, é preciso atribuir explicitamente à escola, aos professores e aos seus órgãos de coordenação pedagógica uma muito maior autonomia e flexibilidade relativamente aos modos de organizar e conduzir os processos de ensino-aprendizagem. Os professores não são “correias de transmissão” entre programas ou manuais “prontos a usar” e os alunos. Os professores são profissionais que identificam e interpretam problemas educativos e procuram soluções para esses problemas, no quadro de orientações curriculares nacionais.

Trabalhar por competências

Competências são combinações complexas de conhecimentos, capacidades e atitudes que permitem uma efetiva ação humana em contextos diversificados. As competências são de natureza cognitiva e metacognitiva, social e emocional, física e prática. Podem ser representadas em termos visuais como uma construção integrada, de acordo com o esquema seguinte:

 

Figura 1: Esquema conceptual de definição de competência (Adaptado de: Progress report on the Draft OECD EDUCATION 2030

Trabalhar por competências permite ao aluno encontrar uma  interligação  entre capacidades, habilidades e conhecimentos disciplinares.

As Aprendizagens Essenciais, são competências que dizem respeito ao conjunto essencial de conhecimentos, capacidades e atitudes  estruturantes de cada área/disciplina de saber. Não são os mínimos a atingir para a aprovação de um aluno, são a base comum de escolaridade e têm necessariamente como referencial o Perfil dos Alunos.

Sobre planificações

As planificações  globais anuais não devem ser especificas, isto é, deverão ser enunciados genéricos de abordagens disciplinares, a partir de: TEMAS; SITUAÇÕES; FENÓMENOS; DESAFIOS OU PROBLEMAS, DO AMBIENTE, PATRIMÓNIO, COMUNIDADE, com o propósito de flexibilizar os saberes que serão solicitados no desenvolvimento dessas abordagens, através de ATIVIDADES (unidades de trabalho ou projetos).

As planificações especificas de curto e médio prazo organizam-se, segundo os DOMÍNIOS ORGANIZADORES DAS APRENDIZAGENS que induzem a uma metodologia investigativa com 3 etapas no seu processo (interpretação/experimentação/apropriação), englobam as ÁREAS OU MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS (desenho, pintura, gravura, escultura, modelação, animação, tecelagem, etc.) e suscitam o tratamento de CONTEÚDOS (forma, cor, espaço, geometria, etc.) que vão sendo necessários, mas não se centram neles.

Este é o processo normal nas nossas disciplinas, lecionar por conteúdos é desvalorizar a área de educação artística e tecnológica, é subverter conscientemente o paradigma das Aprendizagens Essenciais e do Perfil dos Alunos e a sua centralidade  no processo de ensino.

 

Planificação global anual

PLANIFICAÇÃO GLOBAL ANUAL

2021/2022

           EDUCAÇÃO VISUAL

                 5º / 6º ANO

          
1º PERÍODO
Tema: CONTO ILUSTRADO

Enunciado da Unidade de Trabalho:

A partir das vivências pessoais, da análise de obras arte,  os alunos criam “animais fantásticos”, com técnicas criativas e  processos artísticos, que sirvam de personagens para a invenção de uma narrativa visual – Conto Ilustrado.

APRENDIZAGENS ESSENCIAIS. O aluno é capaz de:

– Transformar narrativas visuais, criando novos modos de interpretação;

– Utilizar os conceitos específicos da comunicação visual (forma,  cor, espaço, proporções, representação esquemática,  etc.);

– Construir ideias, mobilizando as várias etapas do processo artístico (pesquisa, investigação, experimentação e reflexão);

– Utilizar diferentes materiais e suportes para realização dos seus trabalhos;

– Descrever com vocabulário adequado (qualidades formais,

físicas e expressivas) os objetos artísticos.

 

PERFIL DO ALUNO, área de competências:

– Os alunos percebem o valor estético das criações a partir de intencionalidades artísticas, mobilizando técnicas e recursos de acordo com diferentes finalidades e contextos socioculturais.

– Os alunos demonstram iniciativa e autonomia nas realizações das tarefas.

– Os alunos interagem com tolerância, empatia e responsabilidade.

– (…)

 2º PERÍODO
Tema: “PARTIR À DESCOBERTA – Tu és importante para a Comunidadein projeto DICA

Enunciado da Unidade de Trabalho:

A partir da realização de um Percurso Urbano (Património)  tendo em vista a divulgação cultural da sua comunidade, através de meios e suportes de comunicação visual, (cartazes, cartazes cinéticos, postais, folhetos, etc.).

 

APRENDIZAGENS ESSENCIAIS. O aluno é capaz de:

– Compreender os princípios da linguagem das artes visuais;

– Reconhecer a tipologia e a função do objeto de arte, de acordo com os contextos culturais;

– Utilizar os conceitos específicos da comunicação visual e representação gráfica, estabelecendo relação entre cores e diferentes texturas, etc. (perceção visual e tátil);

– Construir ideias, mobilizando as várias etapas do processo artístico (pesquisa, investigação, experimentação e reflexão);

– Utilizar diferentes materiais e suportes para realização dos seus trabalhos;

Expressar/registar ideias, utilizando diferentes meios e processos.

 

PERFIL DO ALUNO, área de competências:

– Os alunos desenvolvem o sentido estético, mobilizando os processos de reflexão e argumentação em relação às produções artísticas.

– Os alunos percebem o valor estético das experimentações a partir de intencionalidades artísticas, mobilizando técnicas e recursos

– Os alunos demonstram iniciativa e autonomia nas realizações das tarefas.

– Os alunos interagem com tolerância e aceitam diferentes pontos de vista nas manifestações artísticas.

– (…)

3º PERÍODO
Tema: “À MANEIRA DE …”

Enunciado da Unidade de Trabalho:

Criação de “Uma árvore de sonho” à maneira de Escher, através da utilização de uma diversidade de técnicas de expressão e comunicação visual, (desenho, pintura, colagens, etc.), tendo em conta suas vivências pessoais e da análise de obras de arte.

APRENDIZAGENS ESSENCIAIS. O aluno é capaz de:

– Implementar ideias criativas, para resolver uma situação concreto da Comunidade.

– Compreender os princípios da linguagem das artes visuais.

– Utilizar os conceitos específicos da comunicação visual e representação gráfica, estabelecendo relação entre cores e diferentes texturas, etc. (perceção visual e tátil);

– Mobilizar as várias etapas do processo artístico (pesquisa, investigação, experimentação e reflexão);

– Utilizar diferentes materiais e suportes para realização dos seus trabalhos;

– Expressar/registar ideias, utilizando diferentes meios e processos.

PERFIL DO ALUNO, área de competências:

– Os alunos desenvolvem o sentido estético, mobilizando os processos de reflexão e argumentação em relação às produções artísticas.

– Os alunos percebem o valor estético das experimentações a partir de intencionalidades artísticas, mobilizando técnicas e recursos

– Os alunos demonstram iniciativa e autonomia nas realizações das tarefas.

– Os alunos interagem com tolerância e aceitam diferentes pontos de vista nas manifestações artísticas.

– (…)

 

 

PLANIFICAÇÃO GLOBAL ANUAL

2021/2022

           EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

                      5º / 6º ANO

          
 1º PERÍODO
Tema: “QUE SEGREDOS TÊM AS FOLHAS” Transdisciplinar com CN

Enunciado da UNIDADE DE TRABALHO:

A partir da observação de elementos naturais, os alunos representam esquematicamente folhas de árvores, que sirvam de base temática na construção de um puzzle bidimensional, em que os desenhos resultantes são impressos num suporte de madeira ou cartão.

APRENDIZAGENS ESSENCIAIS. O aluno é capaz de:

– Distinguir as fases de realização de um projeto, (identificação, pesquisa, realização e avaliação), identificando requisitos técnicos e recursos para a sua concretização;

Comunicar, através do desenho, formas de representação gráfica das ideias, aplicando princípios de comunicação tecnológica;

Produzir artefactos, objetos e sistemas técnicos, adequando os meios materiais e técnicas à ideia ou intenção expressa;

– Utilizar as principais técnicas de transformação dos materiais (separação-corte, assemblagem), identificando os utensílios e as ferramentas na realização do projeto.

 

 

PERFIL DO ALUNO, área de competências:

– Os alunos trabalham com recurso a materiais, instrumentos e equipamentos tecnológicos, relacionando conhecimentos técnicos, científicos;

– Os alunos consolidam hábitos de planeamento das etapas do trabalho, identificando os requisitos técnicos, condicionalismos e recursos para a concretização de projetos;

– Os alunos demonstram iniciativa e autonomia nas realizações das tarefas, construindo caminhos personalizados de aprendizagem.

 

 2º PERÍODO
Tema: PARTIR À DESCOBERTA “Tu és importante para a Comunidade” in projeto DICA

Enunciado da UNIDADE DE TRABALHO:

A partir do tema de análise “Como captar a energia do sol”, os alunos constroem protótipo de um biodigestor e um painel de aquecimento solar,  tendo em vista apresentação de propostas ambientais para a sua comunidade.

APRENDIZAGENS ESSENCIAIS. O aluno é capaz de:

– Analisar artefactos, sistemas técnicos e equipamentos solares de transformação da energia radiante dos raios solares em energia térmica;

– Distinguir as fases de realização de um projeto, (identificação, pesquisa, realização e avaliação), identificando requisitos técnicos e recursos para a sua concretização;

– Comunicar, através do desenho, formas de representação gráfica das ideias, aplicando princípios de comunicação tecnológica;

– Utilizar as principais técnicas de transformação dos materiais (união, separação-corte, assemblagem), identificando os utensílios e as ferramentas na realização de projetos.

– Utilizar vocabulário adequado nos conceitos específicos (energia, materiais, estrutura resistentes, etc.)

 

PERFIL DO ALUNO, área de competências:

– Os alunos compreendem processos e fenómenos científicos que permitam a tomada de decisão;

– Os alunos trabalham com recurso a materiais, instrumentos e equipamentos tecnológicos, relacionando conhecimentos técnicos, científicos;

– Os alunos consolidam hábitos de planeamento das etapas do trabalho, identificando os requisitos técnicos, condicionalismos e recursos para a concretização de projetos.

– Os alunos interagem com tolerância e responsabilidade ambiental e social.

3º PERÍODO
Tema: “ BRINCANDO COM PIÕES

Enunciado da UNIDADE DE TRABALHO:

A partir da observação e análise de “piões gira-gira” os alunos idealizam, através de representações esquemáticas e constroem os seus próprios piões, utilizando uma diversidade de materiais e soluções (piões de dedo, piões tradicionais com lançador de corta, ou piões com lançador de mola, etc.) 

APRENDIZAGENS ESSENCIAIS. O aluno é capaz de:

– Analisar e produzir artefactos, objetos e sistemas técnicos;

– Compreender processos e fenómenos científicos e tecnológicos, na tomada de

decisão informada, entre as opções possíveis;

– Distinguir as fases de realização de um projeto, (identificação, pesquisa, realização e avaliação), identificando requisitos técnicos e recursos para a sua concretização;

– Comunicar, através do desenho, formas de representação gráfica das ideias, aplicando princípios de comunicação tecnológica;

– Utilizar as principais técnicas de transformação dos materiais.

PERFIL DO ALUNO, área de competências:

– Os alunos compreendem processos e fenómenos científicos que permitam a tomada de decisão;

– Os alunos trabalham com recurso a materiais, instrumentos e equipamentos tecnológicos, relacionando conhecimentos técnicos, científicos;

– Os alunos consolidam hábitos de planeamento das etapas do trabalho, identificando os requisitos técnicos, condicionalismos e recursos para a concretização de projetos.

Planificação especifica de unidade de trabalho

EDUCAÇÃO VISUAL – Exemplo do enunciado de uma Unidade de trabalho:

PLANIFICAÇÃO UNIDADE DE TRABALHO 

EDUCAÇÃO VISUAL

Ano: Turma:  

Período:

(nº. aulas)

Tema: CONTO ILUSTRADO

Enunciado da UNIDADE DE TRABALHO:

Criação de animais fantásticos que sirvam de personagens para a invenção de uma narrativa visual.

 

 APRENDIZAGENS ESSENCIAIS:

conhecimentos, capacidades e atitudes

 AÇÕES ESTRATÉGICAS DE ENSINO

orientadas para o perfil dos alunos

 PERFIL DO ALUNO: descritores
 

·         Domínio: Interpretação / Comunicação

Construção das relações entre o olhar, o ver e o fazer no sentido de  levar o aluno a uma interpretação mais abrangente entre a imagem, o sujeito e a construção de hipóteses de interpretação.

 

– Transformar narrativas visuais, criando novos modos de interpretação;

– Expressar/registar ideias, utilizando diferentes meios e processos (desenho, fotocolagem, multimédia, entre outros);

– Utilizar os conceitos específicos da comunicação visual (forma,  cor, espaço, proporções, representação esquemática,  etc.)

 

 

 

·

 

 

Domínio: Experimentação / Criação

Experimentação plástica de conceitos e de temáticas, procurando a (re)invenção de soluções para a criação de imagens, relacionando conceitos, materiais, meios e técnicas, imprimindo-lhe a sua intencionalidade e o desenvolvimento da sua expressividade.

 

– A construção de ideias, mobilizando as várias etapas do processo artístico (pesquisa, investigação, experimentação e reflexão);

– Recorrer a vários processos de registo de ideias e de planeamento;

– Utilizar diferentes materiais e suportes para realização dos seus trabalhos;

– Desenvolver individualmente e em grupo projetos de trabalho, recorrendo a cruzamentos disciplinares;

– Adequar os meios materiais e técnicos, à ideia ou intenção expressa, aplicando regras de representação gráfica convencional e estabelecendo relação entre cores e diferentes textura (perceção visual e tátil).

 

 

 

 

 

 

Domínio: Apropriação / Reflexão

Compreendem os sistemas simbólicos das diferentes linguagens artísticas, identificando e analisando, com um vocabulário específico e adequado, conceitos, contextos e técnicas em diferentes narrativas visuais.

 

– Compreender os princípios da linguagem das artes visuais integrada em diferentes contextos culturais (estilos e movimentos artísticos, épocas e geografias).

Analisar criticamente narrativas visuais, tendo em conta as técnicas e tecnologias artísticas (pintura, desenho, fotografia, banda desenhada,  multimédia, entre outros).

– Identificar diferentes narrativas visuais no seu contexto histórico e sociocultural de âmbito nacional e internacional.

 

– A partir das vivências pessoais, da análise de obras arte, de técnicas criativas e de processos artísticos, os alunos criam animais fantásticos que sirvam de personagens para a invenção de uma narrativa visual – Conto Ilustrado.“

 

– Realização de debates sobre  narrativas visuais, criando circunstâncias para a discussão e argumentação, utilizando saberes específicos das artes visuais (técnicas de pensamento convergente e divergente);

– Investigação do tema numa visão diacrónica e sincrónica para a criação de novas imagens, relacionando conceitos, materiais, meios e técnicas;

– Explicitação do processo de criação do conto a partir da invenção de personagens fantásticos através da utilização de técnicas criativas ( pexe. Combinações Forçadas) ou de jogo de sobreposição de imagens de animais  (sobreposição realizada através da projeção de imagens ou da utilização de papel vegetal).

– Exploração das soluções visuais e execução de registos gráficos com indicações escritas.

 

 

– Experimentação das técnicas e materiais, ajustando-os à intenção expressiva das suas representações;

– Organização dos espaços e dos materiais, de acordo com as regras construídas (pexe. elaborar uma arvore de atividades);

– Partilha de ideias, numa atitude de encontrar soluções e compreender o ponto de vista dos outros (pexe. brainstorming ou writestorming);

– Realização do desenho dos personagens, em suporte de papel, recorte e articulação das partes, (pernas, cabeça, cauda, etc.) ao corpo central, nos locais de articulação, com furos e attachés;

– Caracterização dos personagens fantásticos e invenção/elaboração do conto, em colaboração com a disciplina de Português (escrita criativa);

– Idealização, descrição e caracterização dos diversos momentos do conto, através de desenho, pintura, colagens, impressões, etc., nas várias folhas de papel, futuras páginas do livro;

– Organização/composição da imagem e do texto no espaço bidimensional das folhas;

– Realização da capa, transmitir visualmente a ideia principal que melhor exprima a mensagem do conto;

– Realização do livro, (furar e colocar argolas, dobrar e agrafar as folhas, ou por métodos de encadernação tradicionais).

 

 

 

– Compreensão dos elementos da linguagem plástica utilizados na realização do conto ilustrado;

– A explicitação da ilustração enquanto imagens e mensagens que contam histórias, descrevem situações em tempos e espaços diferentes;

– Referenciação de ilustradores contemporâneos (pexe. Fernando Vilela; Ana Terra; Alexandre Rampazo) e de artistas plásticas (pexe. Maria Keil e Paula Rego) que nas suas obras constroem narrativas visuais como um meio para contar uma história através do seu próprio olhar;

– Apresentação/avaliação dos trabalhos individuais, enquanto contributos na realização do produto final;

– Organização da sessão de apresentação, com leitura e projeção de imagens, do conto ilustrado pelos alunos;

– Realização de auto e hétero avaliação.

 

 

Crítico / Analítico

(A, B, C, D, G)

Criativo

(A, C, D, J)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Indagador / Investigador

(C, D, F, H, I)

 

Sistematizador/

Organizador

(A, B, C, I, J)

 

Comunicador

(A, B, D, E, H)

 

 

Participativo/

colaborador

(B, C, D, E, F)

 

 

Responsável/

autónomo

(C, D, E, F, G, I, J

 

 

 

Questionador

(A, F, G, I, J)

 

Conhecedor/

sabedor

(A, B, G, I, J)

 

Autoavaliador

 

 

 

© APEVT, Carlos Gomes, setembro 2021