Associações Reúnem-se Dia 23

Na sequência dos consensos criados pela elaboração da Carta aberta publicada na semana passada, convidamos todos os representantes das associações para uma reunião, que terá lugar no próximo dia 23 de março, pelas 17:30 nas instalações da Associação de Professores de Matemática (APM), Rua Dr. João Couto 27, 1500 Lisboa.

Robótica 2017 em Coimbra

Vai decorrer entre os dias 26 a 30 de abril o Festival Nacional de Robótica, em Coimbra.  Promovido pela Universidade de Coimbra e pela Sociedade Portuguesa de Robótica, é composto pelo Festival Nacional de Robótica onde vários tipos de robôs competem, pela conferência internacional IEEE International Conference on Autonomous Robot Systems and Competitions (ICARSC) e por uma exposição na área da robótica. Tem também uma componente de formação, que se encontra acreditado para formação contínua de professores. Permitirá aos docentes do ensino básico e secundário, dos grupos de recrutamento 530 (educação tecnológica), 540 (eletrotecnia) e 550 (informática) a frequência de um curso de formação correspondente a 12 horas (0,5 créditos). Neste âmbito, estão previstos diversos workshops, alguns dos quais assegurados por docentes do Centro de Formação da APEVT. Para saber mais, visite a página do Festival Nacional de Robótica.

Carta Aberta das Associações de Professores sobre o Projeto Currículo para o Século XXI

Depois das federações sindicais, catorze associações de professores dão o seu apoio crítico ao perfil do aluno para o século XXI, com esta tomada de posição conjunta:

O papel desempenhado pela educação e pelas escolas e o seu lugar na construção do futuro tornaram-se, nos nossos dias, o centro de um debate premente, como questão estratégica à escala local, nacional e mundial. Nesse sentido, as associações de professores abaixo consignadas manifestam o seu apoio às iniciativas, promovidas pelo Ministério da Educação, de repensarmos entre todos – não apenas por parte dos gestores das políticas educativas – o lugar e o papel da educação e da escola, nomeadamente da escola pública, pilar fundamental para a integração social e a equidade em convivência democrática.

Leia aqui a Carta Aberta das Associações de Professores sobre o Projeto Currículo para o Século XXI.

Arriscar, concurso de ilustração da associação AJUDARIS.

A Ajudaris é uma associação particular de carácter social e humanitário de âmbito nacional, sem fins lucrativos, considerada de utilidade pública desde 2008 (Registo de IPSS 06/09). Sem ajudas estatais, desenvolve projetos de intervenção social – http://www.ajudaris.org/ -, que visam combater a fome, a pobreza e a exclusão social, através da educação e formação.

Um dos projetos mais inovadores e emblemáticos da Ajudaris é o “Histórias da Ajudaris”, criado em 2009 e que vai para a 9ª edição. Com mais de 600 estabelecimentos de ensino solidários, cerca de 30.000 pessoas envolvidas no mesmo, entre crianças, pais, professores, figuras ilustres e voluntários, intensamente empenhadas na concretização e alargamento sucessivo deste Projeto que promove a leitura, a escrita e a cidadania.

No seguimento do impacto das “Histórias da Ajudaris” a nível nacional, foi criado o projeto “Ar(riscar)?”. Este é um projeto aberto à participação de todos os alunos inscritos no ensino secundário (10.º/11.º/12.º), que frequentem escolas públicas, privadas e escolas profissionais.

O concurso é SIMPLES: consiste na elaboração de um trabalho original sobre o tema “Refugiados”, deixando ao aluno o critério livre de escolher a técnica e o suporte de desenho.

A ilustração deve respeitar escrupulosamente as dimensões de 25 cm x 25 cm. No caso da utilização de técnicas mistas nas obras a enviar, a espessura máxima da ilustração, incluindo o suporte, é de 2 cm.

AJUDARIS . PROJETO ARRISCAR (ver aqui regulamento)

Sobre o Perfil do Aluno para o Século XXI

Destacamos a apreciação da FENPROF sobre o documento estruturante que define o perfil dos alunos para o século XXI, que refere que “as dez competências valorizadas no “Perfil dos alunos para o século XXI” serão esvaziadas de conteúdo se não forem tomadas medidas ao nível da avaliação. O modelo de avaliação dos alunos privilegia as competências relativas às áreas curriculares e disciplinares concomitantes com o Português e a Matemática. A alteração do modelo de avaliação, a alteração do currículo, e não apenas a sua flexibilização, são pressupostos para que se possam desenvolver as competências descritas para os alunos, ao fim de 12 anos de escolaridade. Caso contrário, mais uma vez, esgotar-se-ão os interesses e energias das escolas sem que se efetive qualquer
mudança substancial e estaremos, também mais uma vez, perante um mero artificialismo de carácter teórico.

Esta mudança só pode acontecer se os professores forem envolvidos na discussão, na construção e na implementação destas alterações, em termos de uma participação ativa em todo o processo. Professores como autores e atores da sua prática pedagógica, em constante partilha de saberes e experiências com os seus pares. O que, manifestamente, diverge da situação para que a profissão docente tem sido remetida pelas políticas de diferentes governos.”

Programa Young Creators ’17 no FabLab Lisboa

O FabLab Lisboa volta a lançar no mês de abril o programa Young Creators, destinado a jovens entre os 15 e os 25 anos. Este é um programa de formação em tecnologias emergentes onde a criatividade e inspiração nascem da ligação entre ciência, arte e tecnologia, proporcionando experiências hands-on com recurso a ferramentas de inovação de fonte aberta.

Durante 4 dias, de 10 a 13 de Abril, vai ser all about DIY, prototipar projetos interdisciplinares e desenvolver o pensamento criativo. Os módulos são acompanhados por formadores e profissionais de referência, seleccionados pelo seu trabalho nas áreas de fabricação digital, eletrónica, programação e materiais. O programa do Young Creators ’17 inclui workshops de Bio Hacking (BioArte, Bioengenharia, Bioprocessos e Genómica), Impressão 3D, Robótica e Programação (criar um robot do primeiro ao último passo) e Textile Hacking ( dar vida às peças de roupa através de computação física simples, têxteis e componentes eletrónicos analógicos e digitais).

Para saber mais sobre o Young Creators ’17, visitem a página do projeto Young Creators ou a página do FabLab Lisboa.